• Dra. Maithê

Sintomas de alterações na tireoide vão do cansaço à taquicardia.

Atualizado: Mar 17

E também afetam o cabelo e a pele.


Quando as atividades da tireoide ficam abaixo do normal, tudo parece ficar muito devagar e quase parando

A tireoide é uma glândula que se encontra na região frontal do pescoço. Apesar do seu pequeno tamanho, ela regula muitas funções por todo o organismo, da cabeça aos pés.


Por isso, quando as atividades da tireoide ficam abaixo do normal, tudo parece ficar muito devagar e quase parando: a pessoa demonstra cansaço incomum, caem fios de cabelo em excesso, a pela seca, o intestino fica preso, surgem sinais de depressão e por aí afora. Esses são alguns dos principais sintomas do hipotireoidismo.


No sentido contrário, quando as atividades da tireoide estão mais intensas do que o normal, a pessoa fica acelerada, tem taquicardia, emagrece, apresenta diarreia, fica com a pele úmida e sudoreica, enfrenta dificuldades para dormir e, além disso, muitas vezes os olhos se alargam (exoftalmia) e a própria glândula pode aumentar de tamanho, entre outras manifestações. Esses são sintomas do hipertireoidismo.


Este artigo traz respostas para perguntas enviadas por telespectadores do programa Mulheres, no qual participei recentemente, na TV Gazeta:


Se o cabelo ficou ralo por causa da tireoide, ele pode voltar a crescer?


Tanto no hipotireoidismo quanto no hipertireoidismo há alteração capilar. Em ambos os casos, espera-se que o paciente volte ao normal após o tratamento. Mas isso não é 100% garantido, pois, hoje conhecemos cerca de 20 causas de queda de cabelo que podem ou não estar relacionadas com o desequilíbrio na tireoide. São casos como doenças autoimunes, excesso de hormônios provocados pelo estresse, doenças do couro cabeludo, carência de vitaminas, etc. Por isso, muitas vezes o tratamento se torna complexo, exigindo paciência e persistência.


As alterações na tireoide podem tirar o brilho da pele?


No hipotireoidismo, o paciente tende a ficar com a pele desidratada - que, por consequência, perde o brilho. Ao reequilibrar as funções da tireoide, esse quadro pode se reverter, mas não totalmente. Para isso, pode ser necessário o uso de hidratantes.


No hipertireoidismo, as alterações podem tornar a pele mais brilhante do que o normal e, ao mesmo tempo, gerar edemas, que são inchaços preenchidos com líquido. Esse é um quadro que, em grande parte, também pode ser revertido após o reequilíbrio das funções da tireoide.


Doenças na tireoide podem acometer crianças?


Sim, pois os casos de hipotireoidismo congênito podem provocar alterações na inteligência e no crescimento, entre outros sintomas. O diagnóstico pode ser feito no teste do pezinho, entre o terceiro e o sétimo dia de vida.


As alterações na tireoide podem afetar a gravidez?


Sim. Se for hipertireoidismo, o quadro é considerado grave, com risco de aborto. Já os casos de hipotireoidismo são menos preocupantes, ainda que demandem atenção.


Qual exame diagnostica alteração na tireoide?


É um exame de sangue, feito em laboratório, que verifica a dosagem dos hormônios TSH e T4 livre.


Quando é recomendada a retirada da tireoide?


A retirada completa da tireoide, denominada tireoidectomia, é indicada quando houver diagnóstico de câncer no órgão. Contudo, cabe frisar que apenas 5% dos nódulos que surgem nesse local são malignos. As estatísticas apontam que cerca de 60% da população tem um ou mais nódulos na tireoide. Em geral, são tão pequenos que os pacientes nada sentem.


A tireoidectomia é também indicada para pacientes com hipertireoidismo persistente, ou seja, quando os tratamentos com remédios e iodoterapia não alcançam os resultados almejados.


A retirada total da tireoide é ainda recomendada em episódios de bócio mergulhante e bócio multinodular tóxico. No primeiro caso, observamos a tireoide crescendo para dentro, a ponto de prejudicar a respiração. O segundo é também um caso de crescimento do órgão, mas que ocorre em função da presença de vários nódulos que estimulam a produção do hormônio tireoidiano, provocando sintomas como taquicardia, perda de peso e outros.


A tireoide pode alterar a menstruação?


Sim. Por isso, o diagnóstico de hipotireoidismo geralmente é feito por ginecologistas. Faz parte do protocolo médico para as mulheres o pedido de TSH e T4 livre quando existem alterações na menstruação.


No hipotireoidismo, normalmente observamos a interrupção da menstruação por cerca de 3 meses ou mais. No hipertireoidismo, as alterações se manifestam por meio do aumento, diminuição ou a interrupção do fluxo.


Por esses motivos, o desequilíbrio das funções da tireoide se encontra entre as 3 principais causas de infertilidade. Mas muitas mulheres com esse quadro conseguem engravidar após passar por um tratamento específico.


Remédios para emagrecer são contraindicados para quem tem hipotireoidismo?


Não são contraindicados. O que ocorre é que a dieta para emagrecer tende a não dar certo em pacientes com hipotireoidismo, pois a lentidão do metabolismo provocado pela doença aumenta a possibilidade de ganho de peso.


Já para quem tem hipertireoidismo, os remédios para emagrecer precisam ser bem administrados, pois podem aumentar a taquicardia.


O suor em excesso causado pelo hipertireoidismo pode ser controlado pela toxina botulínica?


Os pacientes com hipertireoidismo, em geral, suam por todo o corpo e têm mãos úmidas e aquecidas. O que eles precisam fazer é simplesmente tratar a tireoide, pois não haverá mais suor excessivo após a superação da doença.

222 visualizações
Clínica Dra. Maithê P. Tomarchio
Rua Maestro Cardim, 407, Conjunto 608 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefones: (11) 3283-1333 / (11) 2495-6172
Desenvolvimento: