• Dra. Maithê

Seis em cada 10 pessoas possuem nódulos na tireoide

Até que ponto isso é grave? Eu mesmo posso detectar e acompanhar? Preciso fazer exames regulares?

Nódulo é uma massa de tecido que se forma na tireoide e, em geral, não apresenta sintomas

Nódulos na tireoide são muito comuns na população em geral e afetam 6 em cada 10 pessoas.


Entretanto, 95 % deles são benignos, ou seja, apenas 5% estão relacionados com câncer.


Nódulos podem acometer ambos os sexos, mas a prevalência maior é nas mulheres, em decorrência principalmente de fatores hormonais. O envelhecimento é também um fator que predispõe ao aparecimento dessas anomalias.


Como são os nódulos


O nódulo é uma massa de tecido que se forma na tireoide. Pode ser único ou multinodular. Em geral, não apresenta sintomas.


Por outro lado, se um nódulo cresce e fica muito grande, ele pode, às vezes, causar dor, rouquidão, dificuldade para engolir ou respirar. Além do nódulo, pode aparecer também um cisto, que tem conteúdo líquido e é 100% benigno.


Causas


O aparecimento dos nódulos pode estar relacionado a várias causas, tais como radiação, deficiência de iodo, alguns tipos de vírus e ataque de anticorpos, como acontece com a tireoidite de Hashimoto.


Como diagnosticar


Para se detectar os nódulos, é necessário que o médico faça um exame clínico com apalpação da tireoide para verificar possíveis alterações. O exame complementar é a ultrassonografia com doppler, que é muito sensível para o diagnóstico.


Por isso, é importante procurar um médico se você detectar um volume maior na região do pescoço, abaixo das cordas vocais, onde fica localizada a tireoide. Como ela é uma glândula molinha, se for sentida qualquer região mais endurecida pode ser sinal de nódulos.


Quando cancerígenos, os nódulos devem ser removidos com cirurgia. Também pode ser recomendada a iodoterapia, quando indicado. Os benignos devem ser acompanhados, pois alguns precisam também ser retirados através de cirurgia porque podem provocar hipertireoidismo e outros problemas de saúde.


No caso de suspeita de câncer, o diagnóstico deve ser feito através de biópsia aspirativa, por meio de agulha fina, a fim de remover células ou amostras de fluido do nódulo. De qualquer maneira, o tipo de câncer de tireoide mais prevalente não é tão agressivo.










Mitos e verdades


1. Todo nódulo que aparece na tireoide é câncer

Mito – Dos nódulos encontrados, apenas 5% são cânceres de tireoide. Mas essa incidência vem aumentando nos últimos anos em decorrência da insulina alta. Isto porque a obesidade é fator de predisposição para alguns tipos de câncer, tais como: mama, tireoide, pulmão, intestino grosso e próstata. Os plásticos que possuem bisfenol-A, quando esquentados, também estão relacionados com a produção de nódulos na tireoide.


2. Nódulos na tireoide sempre apresentam sintomas

Mito – Se você nunca apalpou e nunca fez o exame, talvez você tenha um nódulo e não saiba. As mulheres, em geral, fazem este exame, porque a ginecologista pede, já que faz parte do protocolo porque altera a menstruação. Os homens nem sempre fazem.


3. Somente mulheres podem ter nódulos na tireoide

Mito – Todos podem ter. É muito mais prevalente nas mulheres e em idosos. A grande incidência aparece entre 20 e 45 anos de idade.



Perguntas do público


1 - Os nódulos da tireoide podem surgir em crianças? Notei um nódulo no pescoço da minha filha, o que fazer?


Podem sim. Não é tão comum, mas existe a possibilidade. Outra coisa que acontece mais que o nódulo é o hipotireoidismo nas crianças. Isso pode afetar o crescimento e a estatura final. Pode dar uma perda de concentração e de memoria e um pouco de aumento de peso. Crianças com distúrbios de tireoide precisam ser tratadas também.


2 - Apareceu uma bolinha no meu pescoço que não dói. Qual exame devo fazer para identificar o que é?


Geralmente, quando se tem nódulos de tireoide eles não doem. Quando a pessoa tem o nódulo, o medico tem que fazer um exame de apalpação e um ultrassom de tireoide, que é muito mais sensível. Existe o ultrassom com doppler onde se visualiza também a vascularização.


3- Fiz cirurgia de câncer de tireoide há 3 anos e não precisou de iodoterapia. Vou precisar fazer um dia?


Existem 4 tipos mais comuns de câncer de tireoide: papilífero, folicular, anaplásico e o medular. Papilifero e folicular são os mais prevalentes representando 70% dos casos. Eles têm uma agressividade muito lenta. Então se a pessoa fizer a cirurgia que remove a tireoide inteira, ela estará praticamente curada.


A necessidade de iodoterapia é verificada no ato cirúrgico, quando são detectados linfonodos acometidos pelo câncer. Opta-se então pela iodoterapia para prevenir uma metástase. Então, provavelmente, se você fez a cirurgia e não tinha acometimento dos linfonodos, não vai realmente precisar da iodoterapia. Porém, o médico tem que seguir o paciente por pelo menos 5 anos, com os exames de sangue. Se o quadro se alterar e com algum linfonodo afetado, poderá ser recomendada até uma nova cirurgia ou mesmo a iodoterapia.

173 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo