• Dra. Maithê

Síndrome da Fome Oculta afeta 25% da população mundial

Ela acontece quando o organismo reclama por nutrientes que não estão sendo ingeridos

Síndrome da Fome Oculta
Pessoas com a síndrome muitas vezes preferem alimentos industrializados, massas, frituras e produtos açucarados

Você sente fome o tempo todo, ainda que se alimente? Pode ser a Síndrome da Fome Oculta.


Esta condição, que afeta 25% da população mundial, se caracteriza pela carência de vitaminas e minerais por conta de uma alimentação não variada e, por isso, pobre em verduras, legumes, frutas e proteínas.

Pessoas com esta síndrome podem até comer fartamente e ingerir calorias na quantidade adequada. Mas, na verdade, se alimentam mal e muitas vezes dão preferência a alimentos industrializados, massas, frituras e produtos açucarados.

Com o tempo, a falta de nutrientes essenciais para o organismo acaba prejudicando a vitalidade do corpo, imunidade e produção hormonal.

Em estágio mais avançado, a Síndrome da Fome Oculta pode provocar problemas mais sérios como contração dos músculos, câimbras, cansaço, fraqueza, irritação, obesidade, variação de humor, infecções frequentes, falta de memória, queda de cabelo, unhas fracas e anemia.

Para evitar a condição, recomenda-se uma alimentação variada e rica em frutas, verduras e legumes. A composição do prato deve ser “colorida” para, assim, garantir uma ampla presença de vitaminas e minerais. Mas quando o problema já ocasionou outros sintomas, às vezes é necessária a reposição dos elementos através da suplementação.

O diagnóstico da Síndrome da Fome Oculta é obtido por exames de sangue que indicam as vitaminas e minerais com baixos níveis no organismo. Por isso, o check-up anual é muito importante, pois, mesmo sem sintomas, é possível detectar algumas carências e prevenir o desenvolvimento da condição.

Os principais elementos que, quando em baixos níveis, provocam a Síndrome da Fome Oculta são o ferro, zinco, selênio e vitamina A. Assim, saiba mais sobre cada um deles:

Ferro: é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na produção dos glóbulos vermelhos do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo. Pode ser encontrado em alimentos como carnes, ovos, feijão, brócolis, espinafre, lentilha, ervilha e grão de bico.

Zinco: ajuda as células da imunidade a ficarem muito mais fortes e diminui o risco de doenças cardíacas. Está presente em alimentos como carne, amendoim, amêndoas, castanhas, feijão, grão de bico e chocolate amargo.

Selênio: alguns estudos indicam que uma gripe fica 30% mais fraca quando se usa selênio. Ele diminui a depressão, ajuda na cicatrização de feridas, contribui com a redução da acne e é responsável pela imunidade humoral e hormonal. Pode ser encontrado em alimentos como castanha-do-pará, ovos, farinha de trigo, arroz e feijão.

Vitamina A: É importante para todas as pessoas e, principalmente, para as crianças. Está presente em alimentos como abóbora, cenoura, mamão, laranja, tomilho e beterraba. Em geral, os alimentos de cor laranja contêm vitamina A.










Mitos e verdades

1. A fome oculta atinge somente quem está acima do peso.

Mito - Pessoas magras também podem manifestar déficit de vitaminas e minerais e, com isso, contrair doenças recorrentes e resfriados constantes por conta da baixa imunidade.

2. Idosos, grávidas e crianças têm maior probabilidade de desenvolver a síndrome.

Verdade – A demanda do organismo por vitaminas e minerais varia de acordo com as diferentes fases da vida. Por exemplo:

As pessoas perdem músculos e ganham massa gorda na medida em que envelhecem. Por isso, os idosos precisam ingerir mais proteínas.

As crianças necessitam de quantidades maiores de vitaminas para a produção das células da imunidade.

Ao longo da gravidez, as gestantes manifestam desejo por determinados alimentos a fim de suprir carências pontuais de vitaminas e minerais.

3. Mesmo sem ter fome em excesso, a pessoa pode estar carente de vitaminas e minerais.

Verdade – Pequenas carências já podem provocar distúrbios como falta de memória, alterações na cognição, fadiga crônica, queda de cabelo e diminuição na produção de células de imunidade.

4. A Síndrome da fome oculta pode intensificar os efeitos da Covid-19.

Verdade – Por isso, o tratamento da condição torna o corpo mais fortalecido para o enfrentamento de um eventual contágio.


75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo