• Dra. Maithê

Puberdade fora de hora pode prejudicar

Se não houver tratamento adequado, as consequências podem englobar baixa estatura, redução do período fértil, maior risco de neoplasias e outras.


Os responsáveis pela criança devem estar atentos aos sinais e procurar ajuda médica quando necessário

A puberdade é um período de grandes transformações na vida das crianças, tanto das meninas, quanto dos meninos, pois é quando ocorre a transição da fase infantil para a adulta.

Nesta etapa da vida, advém a maturação dos órgãos sexuais. Nas meninas, isso acontece com a primeira menstruação, entre 8 e 13 anos de idade. Nos meninos, o processo se inicia com a primeira ejaculação, que acontece em geral entre 9 e 14 anos de idade.

Entretanto, a puberdade pode ocorrer fora desses limites de idade, ou seja, tanto de forma tardia como de modo precoce. São casos que devem ser investigados e tratados para evitar uma série de prejuízos para a saúde.

Puberdade precoce

Para evitar a puberdade precoce, as mães e os responsáveis pela criança devem estar atentos e procurar ajuda médica para o diagnóstico e início do tratamento.

Os principais sinais que marcam o início da puberdade são o aparecimento dos primeiros pelinhos nas axilas e no púbis. Além disso, a pele fica mais oleosa e sobrevêm as espinhas.


Nas meninas, as mamas começam a crescer. Nos meninos, observa-se o desenvolvimento dos testículos e pênis, ao mesmo tempo em que a voz muda e a musculatura das pernas fica mais grossa. Tudo isso vai acontecendo de forma gradual.

A puberdade precoce pode fazer com que os meninos não atinjam a altura compatível com a respectiva genética. Nas meninas, ela pode fazer com que a menopausa comece mais cedo, reduzindo o período fértil. Além disso, o contato antecipado com o estrogênio pode adiantar eventuais quadros de câncer em órgãos como mama, útero e ovário. A infertilidade pode ser outra consequência indesejável.

Para evitar a ocorrência desses e outros problemas, o tratamento médico poderá bloquear o processo, a fim de que a puberdade prossiga, no período adequado.

Puberdade tardia

A puberdade tardia acontece quando não há o aparecimento dos caracteres sexuais secundários dentro do período esperado, ou seja, até os 13 anos para o sexo feminino e 14 anos para o sexo masculino. Os motivos podem ser patológicos ou a influência genética. Dependendo da causa, pode ser recomendado o uso de esteroides sexuais por curto prazo, sendo a testosterona indicada para os meninos e o estrogênio para as meninas.

A puberdade tardia pode afetar psicologicamente os adolescentes, que invariavelmente se sentem desconfortáveis por não se desenvolverem como os colegas da mesma idade. O apoio psicológico neste caso é de grande importância.




Perguntas do público

1 – Meu neto tem 13 anos e ainda continua bem baixinho, sem mudanças no corpo. Nem pelo ele tem. Isso é preocupante?


Tanto a puberdade precoce quanto a tardia são preocupantes para a estatura final e para todos os hormônios. É preciso buscar tratamento.

Na puberdade tardia, o tratamento poderá realizar um estímulo hormonal e geralmente a resposta é muito válida. Mas o médico precisa ser procurado imediatamente, uma vez que quando o menino tiver 16 ou 17 anos o tratamento poderá não produzir efeito.

2 – Notei na minha filha o crescimento das mamas desce os 6 anos de idade. Hoje ela tem 10 e faz tratamento para puberdade precoce. Estou preocupada, pois ela ainda tem 1,40 m. Ela pode crescer ainda?

Esta criança teve puberdade muito precoce. É possível usar o remédio que bloqueia a puberdade até os 12 a 13 anos de idade óssea. A avaliação é feita pela idade do osso, verificada por raio X e não pela idade da criança. Pode-se usar, se tiver indicação, um hormônio de crescimento para ajuda-la a obter maior estatura.

137 visualizações
Clínica Dra. Maithê P. Tomarchio
Rua Maestro Cardim, 407, Conjunto 608 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefones: (11) 3283-1333 / (11) 2495-6172
Desenvolvimento: