• Dra. Maithê

Osteoporose ganha novos tratamentos

Novidades da medicina fortalecem as medidas de prevenção e cura.

Estágios da osteoporose
Estágios da porosidade dos ossos ao longo da doença, que é progressiva

Caracterizada pela perda progressiva de massa óssea, a osteoporose é uma doença que afeta 10 milhões de pessoas no Brasil.


A principal consequência da enfermidade é o risco de fraturas, que ocorrem principalmente no fêmur e na coluna vertebral, gerando sérias complicações ao paciente.


Atualmente, novos tratamentos vieram se somar às condutas terapêuticas já existentes e prometem fortalecer a massa óssea, prevenindo fraturas. São eles: Vitamina K, Romosozumabe e Teriparida.


A vitamina K é uma grande novidade, pois, ao ser associada à vitamina D, ela faz com que o cálcio ingerido na alimentação chegue de fato aos ossos. Com isso, além de beneficiar a estrutura óssea, essa terapia reduz o risco do cálcio ingerido se depositar nas artérias – o que pode provocar doenças cardiovasculares graves como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC).


O Romosozumabe, por outro lado, é um remédio com duplo mecanismo de ação, já que tanto evita a perda de massa óssea quanto regenera as áreas dos ossos que estão afetadas pela osteoporose. É indicado para mulheres na pós-menopausa com elevado risco de fraturas e para pacientes que não se adaptaram a outros medicamentos disponíveis.


Já a Teriparatida estimula a ação dos osteoblastos, que são as células responsáveis pela formação óssea. Assim, o medicamento acelera a formação de ossos novos tanto nas mulheres como nos homens.


Como é uma doença silenciosa, a osteoporose muitas vezes é descoberta somente após uma fratura. Por isso, é importante que as pessoas façam um diagnóstico precoce da doença, através do exame de densitometria óssea.











Mitos e verdades

1. A falta de hormônios femininos pode provocar a osteoporose.

Verdade – É por isso que a osteoporose está associada com a menopausa, por conta da diminuição do hormônio feminino estrogênio, que ajuda equilibrar a saúde dos ossos.

2. A osteopenia aumenta o risco de osteoporose.

Verdade – A osteoporose começa om a osteopenia. Por ser evolutiva, a doença precisa ser tratada já neste estágio, para que não se agrave. O tratamento pode incluir vitamina D, cálcio, vitamina K e atividades físicas, com ênfase na musculação.


3. Quem faz reposição hormonal pode ter osteoporose.

Verdade – A reposição do hormônio estrogênio de fato previne a osteoporose. Mas, durante o tratamento, a doença pode se manifestar por conta de outros fatores de risco como tabagismo e o uso de corticoides, anticonvulsivantes e diuréticos.





Perguntas do publico

1 – Ouvi dizer que café faz mal aos ossos. Isso é verdade?


Sim, pois a cafeína pode dificultar a absorção do cálcio no intestino. Mas quem não toma mais do que 3 xícaras de café por dia não precisa se preocupar.


2 – É possível prevenir a osteoporose somente com a alimentação?


Sim. A prevenção pode ser feita com laticínios e outros alimentos ricos em cálcio como gergelim, folhas verde escuras, linhaça, amêndoas, uvas passas, feijão e outros. A musculação também é importante, pois fortalece a parte osteomuscular.


3– Quem já teve fratura pode tratar a osteoporose com vitamina D e cálcio?


A fratura ocorre quando a osteoporose atinge os estágios mais avançados. Por isso, o tratamento deve também incluir remédios que fazem o remodelamento dos ossos. Do contrário, a tendência é que haja outra fratura.


4 – Quem tem osteopenia deve fazer hidroginástica ou musculação?


Musculação é mais eficaz. Recomenda-se sessões de 50 minutos em um ritmo de 3 vezes por semana em dias não seguidos - como, por exemplo, segunda, quarta e sexta. Nos demais dias da semana, pode-se fazer caminhada ou mesmo hidroginástica. Não é bom fazer musculação todos os dias, pois é preciso dar um descanso para a fibra muscular.


86 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo