• Dra. Maithê

Dietas que emagrecem, saciam e beneficiam a saúde

Estudos revelam resultados expressivos das dietas Low Carb e Cetogênica.

Ambas as dietas propõem uma significativa redução no consumo de carboidratos
Ambas as dietas propõem uma significativa redução no consumo de carboidratos

Nos últimos anos, duas dietas vêm se popularizando entre as pessoas interessadas em emagrecer: a Low Carb e a Cetogênica.

Isso estaria acontecendo porque desde o início dos anos 2000 foram publicados muitos estudos sobre a capacidade dessas dietas alcançarem resultados expressivos em termos de perda de peso, saciedade e outros benefícios como:

  • Prevenção do diabetes;

  • Aceleração do metabolismo;

  • Aumento da longevidade.

Na prática, ambas as dietas propõem uma significativa redução no consumo de carboidratos. Mas cada uma delas tem indicações específicas de acordo com o plano que cada pessoa pretende realizar:

Dieta Low Carb

A Low Carb é mais simples de executar sozinho, mas é sempre aconselhável o acompanhamento médico. De qualquer maneira, a redução de carboidratos, que deve chegar a cerca de 200 gramas por dia, não chega a ser drástica.

Em geral, o paciente pode obter ótimos resultados se estiver bem informado sobre o assunto e for capaz de manter a disciplina ao longo da dieta.

Durante a Low Carb, devem ser evitados carboidratos simples como açúcar, farinha refinada, arroz branco, batata, doces e produtos industrializados (massas, biscoitos, etc.).

A quantidade diária de carboidratos permitida deve vir, principalmente, de alimentos integrais, legumes, frutas, verduras, ovos, peixe, frango, cogumelos e oleaginosas como castanhas e nozes. São permitidos sem restrições folhas verdes, temperos, pepino, tomate e palmito.

Assim, a prioridade recai sobre o consumo de proteínas, gorduras do bem, vitaminas e minerais.

Essa seria a base para a obtenção de bons resultados na perda do peso, queima de gordura e ainda em outros aspectos da saúde, como mais disposição e memória mais ágil.

Dieta Cetogênica

A Dieta Cetogênica também evita carboidratos simples e recomenda os mesmos alimentos da Low Carb. A grande diferença se encontra na intensidade da redução de carboidratos, que deve chegar a cerca de 50 gramas por dia, apenas. Por essa razão, a Cetogênica só deve ser realizada com acompanhamento médico e com o apoio de nutricionista, pois oferece riscos que precisam ser administrados com cuidado.

A forte restrição de carboidratos ao longo da dieta faz com que o organismo produza corpos cetônicos, que são moléculas ávidas por gordura. Desta forma, o corpo passa a utilizar a gordura já estocada no próprio organismo como a sua principal fonte de energia.

O regime alimentar é composto de 4% a 10% de carboidratos e 60% ou mais de gorduras boas. O restante deve ser complementado com as proteínas, que têm o objetivo de manter a massa magra, acelerar o metabolismo e estabilizar o peso.

Em geral, o objetivo dessa dieta é obter resultados muito rápidos.











Mitos e Verdades

1. A redução de carboidratos simples acaba também diminuindo a ingestão de fibras e vitaminas.

Mito - Os carboidratos simples são pobres em vitaminas. Além disso, não oferecem fibras e, por essa razão, muitas vezes chegam a obstruir o intestino. Ao se diminuir os carboidratos, deve-se dar preferência para verduras e legumes que têm fibras. Os probióticos também podem ser incluídos, para auxiliar o funcionamento do intestino.

2. Essas dietas só permitem o consumo de alimentos como bacon, queijos e creme de leite.

Mito - Antigamente, quando se começou a pensar em Low Carb e em dietas com maior consumo de proteínas, a ideia era mesmo aumentar a ingestão de bacon, ovo e gorduras de carnes vermelhas. Isso era o que preconizava a dieta de Atkins, que foi um grande estudioso e alavancou as pesquisas de Low Carb. Entretanto, o alto consumo de gorduras saturadas, embora promova a perda de peso, também causa o excesso de colesterol e provoca problemas renais. Assim, com o avanço dos estudos, os especialistas passaram a priorizar as gorduras boas, recomendando principalmente o consumo de coco, avocato, peixes, frangos, frutos do mar, cogumelos, azeite de oliva e castanhas.


3. Dieta Low carb aumenta a saciedade.

Verdade - A saciedade alcançada a partir das proteínas varia de 4 a 5 horas. Já os carboidratos geram, no máximo, até duas horas de satisfação.

4. A dieta low carb faz mal para o coração

Mito. A saúde do coração vai depender da gordura que você ingere. Por isso, é importante incluir na dieta as gorduras do bem que estão presentes, por exemplo, no bacalhau, sardinha, atum e azeite de oliva.





Perguntas do público

1 – Ao voltar a ingerir carboidratos depois da dieta, eu ficarei acima do peso novamente?

Se você sai da dieta e voltar a comer pizza, arroz e batata, vai sim ganhar peso. A reintrodução de carboidratos deve ser gradual, no ritmo de 50 gramas a cada duas semanas. Existe um cálculo para que o metabolismo vá se readaptando. Nessa fase, já não haverá mais uma dieta e sim uma reeducação alimentar.

2 – Faz um ano e dois meses que faço a dieta Low Carb. Emagreci 19 quilos, mas faltam ainda pelo menos 7 quilos. Porém, faz dois meses que não emagreço. O que devo fazer?

Você entrou no platô, como a gente chama em endocrinologia, que é quando o emagrecimento para, ainda que a dieta continue. Isso acontece porque o organismo tende defender o seu estoque de energia para garantir a sua sobrevivência. Para sair desse quadro, o segredo é fazer mudanças nas atividades físicas, medicação (para quem usa) e até mesmo no tipo da dieta, durante um determinado período.


236 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo