• Dra. Maithê

Dieta Low Carb emagrece e sacia

Atualizado: Mar 19

Em grande parte, o sucesso se deve ao fracionamento das refeições ao longo do dia.

O fracionamento evita picos de insulina, aumenta a massa muscular e queima mais gordura

Muitos questionam se a dieta Low Carb é mesmo saudável, uma vez que restringe a ingestão de carboidratos a apenas 40% por dia. Em uma alimentação convencional, esta porcentagem gira em torno de 50 a 55%.


Contudo, a dieta Low Carb tem sido muito recomendada por endocrinologistas e nutricionistas para as pessoas que procuram um programa eficaz de emagrecimento.


Embora haja controvérsias, é seguro admitir que esta dieta não apenas promove uma perda de peso saudável, como também previne o diabetes, acelera o metabolismo e proporciona saciedade.


Neste programa de emagrecimento, o consumo de 200 gramas de carboidratos permitido por dia deve vir de alimentos integrais, legumes, algumas algumas frutas e verduras. Além disso, prioriza-se o consumo de proteínas, gorduras do bem, vitaminas e minerais.


Ao mesmo tempo, devem ser evitados os carboidratos simples, como açúcar, farinha refinada, arroz branco, batata, doces e produtos industrializados.


Em grande parte, o sucesso da dieta low carb se deve à ideia de fracionar as refeições ao longo do dia. Isso evita picos de insulina a partir do pâncreas, acelera o metabolismo, aumenta a massa muscular e queima mais gordura.


Para que se tenha um resultado efetivo no emagrecimento, o programa deve ser balanceado para cada pessoa, por meio do acompanhamento do endocrinologista e nutricionista.


Ao longo da dieta, é necessário realizar bioimpedância para verificar a composição corporal, o metabolismo, o gasto de energia, além de exames de sangue.


Pontos de destaque da dieta low carb


1. Ingestão de carboidratos integrais


Arroz, macarrão e farinhas integrais proporcionam mais saciedade e demoram mais para serem processados. Consequentemente, o corpo gasta mais energia e o pâncreas não apresenta picos de insulina, que, em geral, aumentam o índice de diabetes e de obesidade.



2. Redução de carboidratos refinados


Deve-se diminuir ou mesmo evitar massas refinadas, pratos prontos e alimentos industrializados. Esta é uma atitude saudável que deve ser adotada por todas as pessoas em geral. Previne o diabetes e a obesidade.



3. Aumento da ingestão de proteínas


A escolha das proteínas saudáveis é fundamental na dieta low carb. É necessário evitar carnes gordurosas e oxidantes. Deve-se optar por frango sem pele, peixe, patinho, queijos amarelos e laticínios, além de acrescentar também as proteínas vegetais.



4- Corpos cetônicos


Na dieta low carb, ao entrar em contato com mais proteína e menos carboidrato e açúcar, o organismo produz corpos cetônicos, que são células do fígado que têm avidez por gordura. Esses corpos cetônicos ajudam a acelerar o metabolismo, queimam gordura e transformam gordura branca, considerada ruim, em gordura marrom.



5- Restrição de gorduras saturadas e ingestão de gorduras insaturadas


Neste programa, é recomendado o consumo de gorduras do bem, que estão presentes no azeite, nas oleaginosas e no abacate ou avocado.



6- Ingestão de legumes, verduras e frutas


Deve-se priorizar o consumo de alimentos com baixa quantidade de carboidratos, tais como abobrinha, brócolis, couve-flor, acelga, cogumelos, aipo, tomate cereja, couve, agrião, pimentão, aspargos, abobrinha, berinjela, espinafre, pepino, cebola, chuchu, vagem, rúcula, escarola, alho-poró, aipo e alface. As frutas de preferência na lowcarb são: abacate, morango, kiwi e coco.


Dúvidas do público



1 – Já que a pessoa comerá mais proteínas e gorduras, o colesterol ruim não vai aumentar?


Depende do tipo de proteína que você escolhe. O colesterol ruim está mais presente em alimentos como bacon, ovos, queijos amarelos e carne vermelha. O ideal é optar por frango, peixe, frutos do mar e clara de ovo. Ou ainda por outras opões que também oferecem proteína, como feijão, lentilha, grão de bico e tofu.



2 – Esta dieta permite dia do lixo no final de semana?


Não, pois o dia do lixo pode interromper a produção de corpos cetônicos por cerca de 5 dias. Assim, esta pausa se alonga por praticamente todo o intervalo entre um e outro dia do lixo. Desta forma, ao invés de emagrecer, a pessoa poderá até mesmo engordar.

0 visualização