• Dra. Maithê

Crescimento tem hora certa para tratar

A criança precisa ser levada ao médico enquanto é possível obter um resultado eficaz.

Crescimento das crianças
Os pais devem ficar atentos, observando se a criança está muito mais baixa em relação a outras de sua idade

Acompanhar o crescimento das crianças é fundamental para que elas atinjam a altura esperada, de acordo com a genética dos pais.

Por isso, a curva de crescimento e os exames de Raio-x para conferir a evolução da estrutura óssea constituem elementos importantíssimos na consulta de rotina com o pediatra.

Se houver suspeita de que a criança não esteja se desenvolvendo de forma adequada, o médico a ser procurado é o endocrinologista, que está preparado para lidar com os hormônios associados ao crescimento.

É importante que o especialista seja procurado no momento certo, para que haja tempo para fazer um tratamento eficaz:

- As meninas devem ser encaminhadas ao médico antes da primeira menstruação, observando que, para elas, a puberdade em geral ocorre entre 8 e 13 anos de idade;

- Já o momento ideal para levar os meninos seria ao longo dos primeiros anos da puberdade deles, que normalmente vai dos 9 aos 14 anos de idade.

Os pais devem ficar atentos, observando se a criança está muito mais baixa em relação a outras de sua idade, se a dentição está atrasada ou adiantada e se ela não está trocando de roupa por uma numeração maior tal como se espera.

Ao mesmo tempo, os pais precisam ficar de olho na puberdade, que não pode ser nem precoce e nem tardia, pois ambos os quadros prejudicam o crescimento. Em caso de puberdade precoce, o médico endocrinologista pode bloquear com sucesso o processo. Da mesma forma, a puberdade tardia também pode ser tratada, a fim de que a criança possa se desenvolver dentro do período de crescimento.

Existem mais de 28 causas de distúrbios do crescimento. Estas seriam as mais frequentes:

- Puberdade antes do tempo ou depois;

- Déficit de absorção de vitaminas;

- Doenças metabólicas, como o hipotireoidismo;

- Doenças genéticas;

- Doenças renais e cardíacas;


- Déficit de hormônio de crescimento.











Mitos e verdades

1. Fatores emocionais durante a gestação podem contribuir com os distúrbios de crescimento da criança.

Verdade – A gestante tem de ter uma boa qualidade de vida, estar tranquila e fazer o pré-natal de forma correta, pois os distúrbios emocionais podem prejudicar o desenvolvimento do bebê ainda no útero. O crescimento durante a gestação também pode ser prejudicado por cigarros, drogas, bebidas alcoólicas e nutrição deficiente, além de doenças como toxoplasmose, sífilis e problemas nos rins e sistema cardiovascular.

2. O hormônio do crescimento atua somente na infância.

Mito - Se o adulto não tivesse hormônio do crescimento, as células não iriam se replicar. Assim, se um fio de cabelo caísse, não iria nascer outro. Da mesma forma, as células de imunidade não iriam se renovar a cada 21 dias.

3. Distúrbios do crescimento também podem estar relacionados a problemas crônicos.

Verdade – Às vezes a criança não cresce por conta de má alimentação ou por não dormir 8 horas seguidas – o que prejudica a produção do hormônio do crescimento. Outras causas possíveis seriam distúrbios como Crohn, hipotireoidismo e doença celíaca, entre outras.

4. Hormônio do crescimento pode ser usado para quem quer ganhar massa muscular.

Mito – Pessoas que utilizam hormônio do crescimento para ganhar músculos aumentam em 36% o risco de câncer - principalmente o de intestino grosso. Hoje, existem alternativas bem mais seguras para gerar massa muscular.





Perguntas do publico

1 – Meu neto se alimenta muito bem, mas tem tido diarreia. Ele não cresce e não engorda. O que pode ser?

Não é normal uma criança ter diarreia frequente. É preciso verificar a alimentação e possíveis causas como doença autoimune, problemas no pâncreas, má absorção por disbiose e outras.

2 – Minha neta de 15 anos é menor que as amigas da mesma idade. Ela ainda não menstruou. É preciso investigar algum problema de crescimento?

Sim. Nessa idade, ela já passou um pouco do limite da menstruação, que fica entre 13 e 14 anos. Parece ser um problema de puberdade tardia, que interfere na produção do hormônio do crescimento. É preciso levá-la a um especialista, pois esse quadro também pode afetar a fertilidade, a formação dos genitais e o psicológico da criança.

3 – Minha filha é muito baixinha e teve a primeira menstruação agora. Ela vai crescer mais, depois de menstruar?

Sim. A média de crescimento após a menstruação é de 2 a 5 cm em dois anos.


40 visualizações0 comentário