• Dra. Maithê

Como tratar a hipertensão com alimentação

Dieta criada por cientistas americanos reduz pressão arterial após duas semanas.

Dieta para hipertensos
Dieta Dash sugere maior quantidade de frutas, vegetais, leite e derivados com baixo teor de gordura

Atualmente, existem no Brasil 36 milhões de hipertensos, isto é, pessoas que apresentam pressão arterial sistólica maior que 14 mmHg e diastólica acima de 9 mmHg (14 por 9). Os dados são da Sociedade Brasileira de Hipertensão,


Essa população precisa mesmo se cuidar, uma vez que a doença pode gerar consequências graves como infarto e derrame cerebral. Mas muitos ignoram o fato de que o tratamento não precisa ficar restrito a medicamentos e à redução do consumo de sal:


Nos últimos 20 anos, um grupo de cientistas americanos elaborou um estilo de alimentação que se revelou capaz de reduzir os níveis da hipertensão já após duas semanas. Estudos mostraram que a pressão arterial chegou a diminuir em 5,5 mmHg na medição sistólica e em 3,0 mmHg na diastólica.


A nova dieta passou a ser conhecida pela sigla Dash, cujas iniciais representam a expressão em inglês que pode ser traduzida como “Abordagens Dietéticas para Tratar a Hipertensão”. Seus criadores fazem parte do Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue dos Estados Unidos (NHLBI).


A dieta Dash preconiza a adoção de um hábito alimentar com grandes quantidades de frutas e vegetais, além de elevado consumo de cálcio através de leite e derivados com baixo teor de gordura A dieta ainda prevê outros alimentos ricos em proteínas, fibras, potássio e magnésio. As restrições, por outro lado, abrangem o açúcar, alimentos ultraprocessados, a adição de sal e, em menor grau, as gorduras saturadas.


Base da dieta


  • 1 porção de 179 gramas de carne vermelha magra, frango ou peixe;

  • 3 a 4 xicaras diárias de legumes e vegetal (cenoura, abobrinha e brócolis);

  • 4 a 5 porções diárias (55 gramas cada) de grãos e carboidratos integrais, como arroz, pão e macarrão integrais;

  • 4 a 5 porções de frutas no decorrer do dia;

  • 2 a 3 copos de leite desnatado e semidesnatado e derivados durante o dia;

  • 4 a 5 porções semanais de nozes, castanhas, sementes, e leguminosas como feijão e ervilha;

  • 2 colheres de sopa diárias de óleo e gordura boa, como azeite de oliva.






Perguntas do público


1 – Grãos enlatados como milho e ervilha podem ser consumidos?

Sim. Em geral, os grãos enlatados são produzidos apenas com água e sal. O cozimento é feito com o alimento dentro da própria lata, dentro de um processo de esterilização. Por isso, o grão enlatado não contém, necessariamente, substâncias nocivas à saúde. O sal que se encontra em sua composição é um conservante natural. Para retirá-lo, basta lavar o alimento em água corrente.


2 – Tenho hipertensão, mas sou magra. Esta dieta é boa para mim?

A dieta pode atender pessoas magras ou com sobrepeso. Pode ainda ser adotada por quem apenas deseja ter mais qualidade de vida, abaixando o risco de hipertensão.


3 – Qual dieta é melhor para emagrecer: Dash ou Mediterrânea?

Ambas evitam riscos cardiovasculares, mas a Mediterrânea é mais eficaz para quem deseja emagrecer, pois chega a ser compatível com a dieta Cetogênica, que valoriza as proteínas e gorduras boas.


4 – É possível aliar jejum intermitente à dieta Dash?

Não existem estudos nesse sentido. Normalmente, o jejum intermitente funciona melhor em dietas que utilizam maiores quantidades de proteínas e gorduras boas.


5 – Vegetarianos e veganos podem fazer a dieta Dash?

Não, pois a Dash utiliza como base laticínios magros tais como leite desnatado, queijo branco e outros derivados, por conta do potássio e magnésio.


59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo